NOTICIAS

Prefeitos rejeitam a proposta de uso de recursos do Fethab para saúde e se mobilizam para buscar saídas para crise

   01/06/2017
Fonte: Mario Alvim   

Prefeitos se mobilizam contra a utilização dos recursos do FETHAB para quitar débitos da saúde do estado com hospitais regionais e, em ação bem articulada, já realizaram três importantes reuniões visando encontrar saídas para a crise sem ter que afetar ainda mais a já combalida arrecadação dos municípios.  

 

A primeira reunião aconteceu nesta segunda-feira (29) no auditório Liu Arruda (no TCE) contou com a presença de 88 dos 141 prefeitos de Mato Grosso, a segunda reunião aconteceu na Assembleia Legislativa com a participação dos deputados estaduais e a terceira no Palácio Paiaguás, sede do governo do estado e contou com as presenças do governador, do vice-governador, equipe técnica e parlamentares estaduais, onde os prefeitos rejeitaram a proposta do governo que prevê a retirada de 50% dos recursos do Fethab dos municípios para serem destinados à saúde.

 

Como primeira ação concreta destas reuniões foi criada uma comissão composta por seis prefeitos na qual o prefeito de Juína, Altir Peruzzo, é integrante e seis deputados estaduais. Esta comissão estará se reunindo já na próxima segunda feira com a equipe técnica do governo com a missão de encontrar solução para a crise sem passar por mais sacrifícios dos municípios

 

Para o prefeito de Juína, Altir Peruzzo, o médio Norte e o Noroeste são as regiões mais desassistidas pelo Estado, pois, não conta com hospital regional e, com isso os municípios acabam abrindo mão de outros investimentos priorizando a saúde, cortar o recurso do Fethab seria condenar a população desta vasta região a não ter direito nem ao mínimo que os municípios precariamente vêm oferecendo.

 

Altir classificou como descabida a proposta, pois, os municípios já vem sofrendo com o atraso nos repasses da atenção básica, considerando que é injusta a destinação de recursos do estado para regiões que conta com hospitais regionais e outras que não conta a mesma estrutura, só pra fazer um comparativo enquanto o estado destina R$ 3.000.000,00/mês para Colíder numa região referenciada de 65 mil habitantes, o Hospital Municipal de Juína recebe R$ 300.000,00/mês para uma região referenciada de 160 mil habitantes.

 

Para o gestor juinense essa é uma matemática que não fecha, pois, vivemos numa região de mais de 700 km de distância dos grandes centros sem a presença de uma regional que possa atender uma população de mais de 160 mil habitantes com uma tabela de distribuição per capita (Reais por habitante) de recursos somados os investimentos do estado na atenção básica, estrutura regional com MAC Média e Alta Complexidade, conforme demonstrativo a seguir:

 

Norte R$ 42,46 por habitante

Oeste R$ 38,44 por habitante

Alto Tapajós R$ 26,59 por habitante

Vale do Teles Pires R$ 24,64 por habitante

Norte Araguaia R$ 14,43 por habitante

Sul R$ 12,54 por habitante

Baixada Cuiabana R$ 9,86 por habitante

Vale do Arinos R$ 7,99 por habitante

Sudoeste R$ 6,92 por habitante

Médio Araguaia R$ 6,48 por habitante

Vale do Peixoto R$ 6,09 por habitante

Araguaia Xingu R$ 5,85 por habitante

Centro Norte R$ 5,75 por habitante

Barra do Garças Araguaia R$ 5,67 por habitante

Médio Norte R$ 3,05 por habitante

Vale do Juruena R$ 1,94 por habitante

 

O prefeito Altir finalizou dizendo que não medirá esforços na busca por uma estrutura regional que possa atender dignamente estas regiões ainda quase que totalmente desassistida pelo estado.

MAIS NOTICIAS
Links
Facebook
Compartilhar
COMPARTILHAR
Webmail