NOTÍCIAS

VER TODAS

Dia 1º de Dezembro é o dia Mundial de combate à Aids

Sexta-feira, 01/12/2017 10:41
Rosi Zimpel

O Dia Mundial de Combate à Aids é comemorado em 1º de dezembro e tem por objetivo alertar toda a sociedade sobre essa doença.  A data foi escolhida pela Organização Mundial da Saúde e desde 1988 é comemorada no Brasil.

 

A Aids é uma doença causada pelo vírus HIV, geralmente por contato sexual desprotegido com pessoa contaminada, mas pode ser também transmitida por transfusão sanguínea e compartilhamento de objetos perfuro cortantes. Diferentemente do que muitos pensam ser HIV positivo não é o mesmo que ter Aids. A Aids é o estágio mais avançado da doença, quando o sistema imunológico encontra-se bem debilitado.

 

A Aids é uma doença que não mata por si só. Por causar um grande impacto no sistema imunológico, o paciente fica sujeito a doenças oportunistas, como a pneumonia, que surgem no organismo nesse momento de fraqueza. Assim sendo, não se morre de Aids, morre-se das complicações geradas pelas doenças oportunistas.

 

Em 2017, aumentou os casos de Aids no Brasil, em tendência contrária ao que se registra na média mundial. Dados divulgados pela UNAids, órgão das Nações Unidas para lidar com a epidemia, apontam que o total de novas infecções a cada ano no Brasil aumentou em 3% entre 2010 e o ano passado. No mundo, essa taxa sofreu contração de 11%.

 

Em Juína os casos de Aids somam hoje cerda de 278, sendo que desses, 11 casos foram detectados nesse ano e a preocupação dos profissionais da saúde é por conta de que esse numero é  considerado elevado para o numero de habitantes existentes no município.

Segundo o coordenador do CTA de Juína Cassio Antonio Genaro, os pacientes que são detectados com essa doença, recebem não só a medicação necessária para o tratamento, como também recebem acompanhamento dos profissionais  da saúde como enfermeiros e  psicólogos que fazem avaliações corriqueiras para avaliação do tratamento de cada um.

 

O dia 1º de Dezembro vem trazer esse assunto em pauta e principalmente relembrar a importância da prevenção dessa doença que não tem cura, mas que pode ser controlada através de um tratamento contínuo.